Páginas

domingo, 23 de maio de 2010

Miltinho – Miltinho é Samba (RGE – 1961).

Miltinho

                   Download aqui

Link reativado em 13/01/2013

      Mais samba de qualidade aquí no Blog Cultura Cabesound. Dessa vez, abro espaço para um dos mais importantes intérpretes de todos os tempos: Miltinho.
     A biografia a seguir foi retirada do site http://cifrantiga.wordpress.com/, resume bem a carreira deste que atualmente ainda se encontra em atividade, mesmo do alto dos seus 82 anos de idade e quase 70 de carreira:
     “Miltinho (Milton Santos de Almeida), cantor e instrumentista, nasceu no Rio de Janeiro/RJ em 31/1/1928. Começou a carreira artística na década de 1940, integrando o conjunto vocal Cancioneiros do Luar. O conjunto, de início amador e formado por estudantes, participou do programa de calouros de Ary Barroso, na Rádio Tupi do Rio de Janeiro. Depois, já profissional, atuou no programa Escada de Jacó, na mesma emissora. Em 1946, com outros integrantes do Cancioneiros do Luar, Nanai (Arnaldo Humberto de Medeiros) e Chicão (Francisco Guimarães Coimbra), integrou a segunda formação do conjunto Namorados da Lua, como cantor e pandeirista. No ano seguinte gravou com o conjunto o samba DE CONVERSA EM CONVERSA (Haroldo Barbosa e Lúcio Alves), na Victor, acompanhando a cantora Isaura Garcia. Com a saída de Lúcio Alves, o grupo passou a se chamar Os Namorados, desfazendo-se pouco tempo depois.
     Em 1948, com Nanai e Chicão, integrou o conjunto Anjos do Inferno, que viajou pelos EUA, apresentando-se ao lado de Carmen Miranda; atuou também por dois anos no México, no programa radiofônico Coisas e Aspectos do Brasil.
     Em 1952 integrou, como cantor e pandeirista, o conjunto Quatro Ases e um Curinga, substituindo André Vieira. Foi também crooner da Orquestra Tabajara de Severino Araújo e por 1953 passou a crooner do conjunto Milionários do Ritmo, de Djalma Ferreira, com o qual se apresentou nas boates Monte Carlo, do Hotel Plaza, no Rio de Janeiro, e depois na Drink, de Djalma Ferreira, época em que alcançou grande sucesso. Gravou com o conjunto, na etiqueta Drink, Recado (Djalma Ferreira e Luís Antônio), Mulher de Trinta (Luís Antônio), Zé Marmita (Luís Antônio e Brasinha) e Devaneio (Djalma Ferreira e Luís Antônio). Fez também, com os Milionários do Ritmo, temporada na TV Continental, do Rio de Janeiro. Recebeu então convite para gravar como cantor solista na gravadora Sideral, lançando em 1960 o LP Um novo astro, com Mulher de trinta, Eu e o Rio (Luis Antônio), Murmúrio (Djalma Ferreira e Luís Antônio) e Ri (Luís Antônio).
     Com a falência da gravadora, foi contratado pela RGE, gravando em 1961 o LP Miltinho é samba, com Só vou de mulher (Haroldo Barbosa e Luis Reis). No ano seguinte lançou o LP Poema do Olhar, com a faixa-título de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e Meu nome é ninguém (Haroldo Barbosa e Luís Reis). Em 1963 lançou os LPs Poema do adeus, com a faixa-título de Luis Antônio e Palhaçada (Haroldo Barbosa e Luis Reis), e Eu… Miltinho, com o Samba do crioulo (Miguel Gustavo); em 1964 Os grandes sucessos de Miltinho, com Mulata Assanhada (Ataulfo Alves) e regravações, e também o LP Miltinho, bossa e balanço. No ano seguinte gravou o LP Poema do fim, faixa-título de Eduardo Damas e Manuel Paixão, e Miltinho ao vivo, com diversos pot-pourris.
     Em 1966 transferiu se para a Odeon, onde gravou, em dupla com Elza Soares, quatro volumes da série Elza, Miltinho e samba, e outros quatro em dupla com Dóris Monteiro, da série Dóris, Miltinho e charme, além dos LPs Samba + samba = Miltinho, 1966; As mulheres de Miltinho, 1968; Samba & Cia., 1969; Miltinho e a seresta, 1970; Novo recado, com o grande sucesso Samba do Leblon (Luís Reis), 1971; Miltinho, com Esperanças perdidas (Eduardo Souto Neto e Geraldo Carneiro), 1973; e Miltinho, com  Retalhos de cetim (Benito di Paula), 1974.
     Em 1997 a gravadora Globo/Columbia lançou o CD Miltinho sempre sucessos, em que canta em dueto com outros artistas: Mulher de trinta, com João Nogueira; Menina-moça, com Luís Melodia; Lembranças, com João Bosco; Notícia de jornal, com Chico Buarque; Palhaçada, com Elza Soares etc.”
     Gravou participações na série de CD’s CASA DE SAMBA, da Universal Music, em duetos com Zizi Possi e Ed Motta e em 2007 fez uma participação especialíssima no CD/DVD “Acústico MTV – Gafieira”, de Zeca Pagodinho.
     O disco que apresento é “Miltinho é Samba”, de 1961. Contém além de outras faixas magistrais, a divertida Só vou de mulher e o grande sucesso Lembranças. Miltinho foi acompanhado nesse disco pela Orquestra e Conjunto RGE, com arranjos e direção de Ruben “Pocho” Perez e Nelsinho. Ouça o disco e veja se vc consegue ficar parado com os sambas swingados contidos aquí… Miltinho também é é mestre interpretando sambas-canção. Mais um presente do Blog Cultura Cabesound!!!
 
Músicas:
 
Lado 1 :
01- Poema das mãos (Luis Antonio)
02- Só vou de mulher (Haroldo Barbosa – Luis Reis)
03- Lamento Bebop (Haroldo Barbosa – Luis Reis)
04- O tema é solidão (Edison Borges – Hianto de Almeida)
05- O velho e a moça (Haroldo Barbosa – Luis Reis)
06- Saudade fique comigo (Cyro Monteiro)
 
Lado 2:
01- Babá de mulher (Haroldo Barbosa – Luis Reis)
02- Lembranças (Raul Sampaio – Benil Santos)
03- Chorando, chorando (Edison Borges – Armando Cavalcanti)
04- Nós dois a sós (Miguel Gustavo)
05- Um dono só (Luis Roberto – Silvério Netto)
06- Que sabe você de mim (Fernando Cesar – Britinho)
 

Um comentário:

  1. Eu gostaia de ouvir a música Se é Domingo com o antor Miltinho -Odeon 1973 SMOFB 3766

    ResponderExcluir