Páginas

domingo, 31 de janeiro de 2010

Jamelão – O Sucesso (Continental/Musicolor – 1968)

Jamelão
  
 
                         Download aqui

Link reativado em 02/04/2015

     O próprio Lupicinio Rodrigues comentava: “- Quem melhor sabe dar meu recado”… por essa declaração já se tem uma idéia da importância do “intérprete” Jamelão para a música popular brasileira, não só pelos mais de 50 anos defendendo os Sambas-Enredo da Estação Primeira de Mangueira nos desfiles carnavalescos mas também como uma das mais bonitas vozes do cancioneiro Tupiniquim.
     José Bispo Clementino dos Santos nasceu em 12 de maio de 1913 no Rio de Janeiro. Ganhou o apelido Jamelão quando se apresentava em gafieiras da capital fluminense. Começou ainda jovem tocando tamborim na bateria da Mangueira, passando depois a tocar cavaquinho e em 1949 se tornou um de seus intérpretes de sambas-enredo. Se tornou o intérprete principal da escola (o próprio Jamelão não gostava quando o chamavam de “Puxador de Samba”) a partir de 1952, substituindo o lendário Xangô da Mangueira. Conseguiu trabalhos no rádio e em boates e foi corista de Francisco Alves e em uma das apresentações o substituiu, cantando uma composição de Herivelto Martins. Começa então uma carreira de grande sucesso, passando por gravadoras como Odeon, CBD e Continental, por onde deixou registrada sua potente voz em vários sambas e em canções como FOLHA MORTA (Ary Barroso) e MATRIZ OU FILIAL (Lúcio Cardim). Mas foi justamente com as composições de Lupicinio Rodrigues que Jamelão ficou mais conhecido nacionalmente, tendo atingido o ápice do sucesso em 1959 ao gravar um 78 RPM com ELA DISSE-ME ASSIM (VÁ EMBORA). Seu último CD de inéditas foi lançado pela Som Livre em 2000 com o título POR FORÇA DO HÁBITO.
     Era diabético e Hipertenso e nos últimos anos de vida sofreu com problemas pulmonares que o levaram ao afastamento de sua querida Estação Primeira de Mangueira. Em 14 de Junho de 2008, as 4 horas da manhã na casa de saúde Pinheiro Machado, uma falência múltipla de órgãos cala Jamelão para sempre aos 95 anos de idade.
     O disco que estou postando nesse momento aquí no Blog foi uma coletânea lançada em 1968, que abrangeu boa parte dos sucessos lançados por Jamelão na Continental a partir de 1960, ficando de fora a já citada ELA DISSE-ME ASSIM, lançada em 1959, mas pela lista de músicas abaixo mencionadas têm-se exata noção do valor musical desse disco e do próprio Jamelão, o “Adorável Rabugento”. Confira:

Lado 1:
01- Solidão (Floriano Mattos – Guaxinin)
02- Foi assim (Lupicinio Rodrigues)
03- Fim de jornada (Helio Nascimento – Altemir Gonçalves)
04- Torre de Babel (Lupicinio Rodrigues)
05- Meu natal (Lupicinio Rodrigues)
06- O amor é você (Mario Casali)

Lado 2:
01- Exemplo (Lupicinio Rodrigues)
02- Mais do que amor (João Roberto Kelly)
03- Você é gelo (José Garcia – Lourival Peres – Don Carlos)
04- Um minuto de silêncio (Osvaldo Vitalino – Ferreira dos Santos)
05- Retrato do morro (Nonato Buzar – Hamilcar Pereira)
06- Flores, estrelas e mulheres (Antonio Bruno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário